quarta-feira, 28 de setembro de 2011

VEGETARIANISMO E SENSUALIDADE...

A organização Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais, mais conhecida como PETA, sabe como explorar a sexualidade em favor do vegetarianismo, embora as vezes pareça sair da linha.
Todo ano a ONG divulga os “vegetarianos mais sexy do planeta” e agora você confere os vencedores de 2011.
A loira que aparece na foto de entrada é a britânica Sophie Barrett, de 21 anos, que é vegetariana desde os 7 anos de idade. Já o rapaz que aparece aí em baixo é o búlgaro Hristo Hristov, 27 anos, vegetariano desde 2002.

Não sabemos se essas listas aumentam o número de vegetarianos, mas ao menos acaba com aquele argumento tolo de que “pessoas que só comem vegetais não tem saúde” e et

sábado, 24 de setembro de 2011

II Seminário Internacional Sobre Planejamento Urbano e Serviços Ambientais

Estocolmo

O II Seminário Internacional de Serviços Ambientais e Planejamento Urbano, que se dará nos dias 10, 11 e 12 de outubro, em Fortaleza, Ceará, é uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secretaria de Meio Ambiente e Controle Urbano em parceria com o Programa de Pós-Graduação de Geógrafia da Universidade Estadual do Ceará, juntamente com a Prefeitura de Estocolmo e a Consultoria U&W [you&we]/ Suécia.

Fortaleza

APRESENTAÇÃO:
A cidade de Fortaleza é o espelho da vida econômica, social, política e cultural da população que a habita. Fortaleza conta com uma população de 2.458.545 pessoas, segundo estimativa do IBGE para 2007, em uma área territorial de 313,8 Km2 e com densidade populacional em torno de 6.818 habitantes por km2.
Diante do crescimento de sua população, da expansão da cidade e das implicações vinculadas a este fenômeno, a cobertura vegetal na cidade vem diminuindo progressivamente. Fortaleza possui cada vez menos áreas verdes. Em 1968, o percentual de cobertura verde era de 65,79%; atualmente, restam 7,06%, conforme dados apontados pelo Inventário Ambiental de Fortaleza, realizado em 2002 e 2003, pela Prefeitura da cidade, em conjunto com uma equipe multidisciplinar. Fortaleza tem hoje uma média de 4m2 de área verde por habitante — um terço do mínimo recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de 12 m2.
Neste contexto, a metrópole enfrenta hoje um cenário bastante próximo ao limite de sua sustentabilidade tendo em vista a magnitude dos problemas ambientais e sociais incidentes em seus territórios. Preocupada com aspectos ambientais da cidade de Fortaleza, a  Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Controle Urbano – SEMAM em parceria com o Prefeitura de Estocolmo e a Consultoria U&W [you&we]/ Suécia,  assume o desafio de construir um modelo sustentável de sociedade e de vida urbana, direcionando sua atuação sob a ótica do conceito de serviços ambientais.
O tema Serviços Ambientais será debatido no II Seminário Internacional de Planejamento Urbano e Serviços Ambientais. Consideram-se serviços ambientais os benefícios obtidos a partir do funcionamento dos ecossistemas, tais como a formação do solo, a regulação climática, a produção de oxigênio, o fornecimento de alimentos e a proteção dos recursos hídricos. Para que esses serviços permaneçam em equilíbrio, é de extrema importância que haja a redução dos impactos ambientais causados pelo ser humano.
Outro enfoque que será dado ao debate trata dos impactos da construção civil na biodiversidade urbana na Região Metropolitana de Fortaleza e às alternativas sustentáveis para esta atividade econômica, além dos grandes projetos de infra-estrutura urbana: estradas, metrôs e saneamento básico e habitação.

 OBJETIVO:
Identificar e avaliar conceitos e indicadores dos serviços ambientais proporcionados pelos ecossistemas na cidade de Fortaleza e Regiões Metropolitanas, com os diferentes atores da sociedade, tais como empresários, setor público, agentes financeiros, pesquisadores, consultores e sociedade civil, bem como o debate de temas como desenvolvimento econômico, agricultura, negócios e a biodiversidade urbana  em alusão aos serviços ambientais.

METODOLOGIA:
O seminário terá inscrições gratuitas e pretende receber  350 pessoas. Será organizado em forma de palestras com possibilidade dos participantes fazerem rápidas perguntas aos palestrantes ao final de cada apresentação.
                A metodologia do seminário fundamenta-se nos princípios da ação e reflexão, através do dialogo e da construção coletiva do conhecimento. A apresentação discussão e sistematização dos temas abordados se processarão por meio de palestras, mesas- redondas, relatos de experiências, debates e visita de campo.
O evento contará com a participação de palestrantes e convidados da universidade de Estocolmo (professores e pesquisadores) e da Prefeitura Municipal de Estocolmo – Suécia.
A inscrição poderá ser realizada via email através dos endereços cpa.semam@gmail.com ou cepemaproducao@gmail.com. A ficha de inscrição estará disponível na pagina do site da Secretaria Municipal de Meio Ambienta – SEMAM  no endereço:  www.semam.fortaleza.gov.br.  

PROGRAMAÇÃO:

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

BORÄS, CIDADE MODELO DE SUSTENTABILIDADE.

INTERCÂMBIO INTERNACIONAL SUÉCIA – CEARÁ / CIDADE DE BORÅS -FORTALEZA.

Coleta seletiva e reciclagem de resíduos sólidos e produção de energia.

O intercâmbio será realizado nos dias 28, 29 e 30 de Setembro de 2011


Informações:
  
Intercâmbio Sobre Resíduos Sólidos, Coleta Seletiva e Produção de Energia
O Intercâmbio Sobre Resíduos Sólidos, Coleta Seletiva e Produção de Energia, que se dará nos dias 28, 29 e 30 de setembro e 01 de outubro de 2011, em Fortaleza, Ceará e na cidade de Sobral, é uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secretaria de Meio Ambiente em parceria com a Prefeitura de Borås e Universidade de Borås – Suécia.
1.           Apresentação:
A cidade de Fortaleza se apresenta como uma das capitais com os maiores índices de geração de resíduos sólidos do país. A quantidade de resíduos gerada em Fortaleza representa  

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Ninguém derruba a casa do português

O Conselho Municipal de Proteção ao Patrimônio Histórico-Cultural aprovou o tombamento definitivo do extravagante imóvel do bairro Damas
20.09.2011| 01:30
O tombamento agora depende do parecer jurídico da Secretaria de Cultura de Fortaleza e da assinatura da prefeita Luizianne Lins (FOTO GABRIEL GONÇALVES) O tombamento agora depende do parecer jurídico da Secretaria de Cultura de Fortaleza e da assinatura da prefeita Luizianne Lins (FOTO GABRIEL GONÇALVES)
Protegida contra intervenções que desfigurassem sua estrutura original desde 2006, quando o processo de tombamento foi aberto pela então Fundação de Cultura, Esporte e Turismo (Funcet), a Casa do Português, localizada na avenida João Pessoa, está prestes a ter seu tombamento definitivo oficializado. A aprovação por unanimidade do parecer favorável do arquiteto Romeu Duarte e da historiadora Ivone Cordeiro em reunião do Conselho Municipal de Proteção ao Patrimônio Histórico-Cultural (Comphic) foi o passo decisivo para a conclusão do processo. A decisão agora depende apenas do parecer do setor jurídico da Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor), que analisa o pedido de impugnação do processo de tombamento formalizado pelo atual proprietário. “Eu acredito que eles não levem isso à frente, porque já foi decidido pelo conselho”, afirma Clélia Monasterio, coordenadora de Patrimônio Histórico e Cultural da Secultfor. Após o parecer jurídico, o relatório do conselho deve ser encaminhado para assinatura da prefeita Luizianne Lins e registrado no Livro do Tombo, que já possui outras 31 edificações.
O prédio “pitoresco”, como foi muitas vezes adjetivado ao longo de seus mais de 60 anos de existência, teve sua preservação argumentada por ser uma referência da cidade, marco simbólico, arquitetônico e afetivo de Fortaleza. De acordo com o parecer, “o prédio notabilizou-se, desde a sua inauguração, por seu aspecto insólito e exagerado, espécime arquitetônico pitoresco em meio a uma Fortaleza constituída por uma arquitetura de escala comportada”.
Arquitetura kitsch

“A arquitetura da Casa do Português baseia-se no universo “kitsch”, como expressão material e cultural de uma classe social emergente, recém enriquecida e ávida por ostentação. Suas linhas evocam a força das estruturas de concreto, o romântico do ‘mission style’ californiano das arcadas e o idílico das longas pontes e passarelas, algo muito distante da arquitetura elaborada pelos pioneiros modernistas cearenses de então”, explica Romeu Duarte, professor de Arquitetura da UFC.


O tombamento da casa representa para Romeu a prova de que a ideia de “patrimônio cultural” está experimentando uma intensa expansão de seus critérios e público. “Há bem pouco tempo, a Casa do Português era motivo de riso por parte da ‘intelligentzia’ fortalezense, notadamente o segmento de arquitetura e urbanismo, quando esta passava pela Av. João Pessoa. Hoje é bem tombado pelo Município”, compara.
A casa de três andares (com 11 quartos e três banheiros apenas no primeiro deles), com uma rampa para automóveis que circunda sua robusta estrutura em concreto armado, chamou a atenção da população fortalezense desde sua inauguração em 1950. Comentava-se sobre a imensidão da casa construída pelo fazendeiro e comerciante português José Maria Cardoso para abrigar sua pequena família, composta apenas de esposa e filho único – não por acaso ele deu o nome de Vila Santo Antonio ao imóvel. Mas o que principalmente provocava o burburinho era a arquitetura inusitada para a época, que a fez figurar em cartões postais da cidade na década de 1960 e se transformar numa referência arquitetônica de Fortaleza.Depois de servir de morada por alguns anos para a família de José Maria, o imóvel foi sede da Empresa de Assistência Técnica de Extensão Rural do Ceará (Ematerce) de 1965 a 1984, abrigou uma oficina mecânica, funcionou como cortiço, entre outros usos (ver coordenada), e figurou nas páginas dos jornais com notícias como a prisão de assaltantes e um suicídio. Hoje a estrutura do prédio aparenta abandono, apesar de abrigar algumas famílias, que vivem no lugar com autorização do proprietário.
DETALHES DA CASA
 

Famílias ocupam imóvel
1) A casa é ocupada por famílias com a autorização do proprietário 2) A intenção do dono é transformar o local em shopping do tipo outlet 3) O imóvel aparenta abandono
Pedro Rocha
pedrorocha@opovo.com.br

MILIONÁRIO FRANCÊS, COM REMORSO, ABRE A BOCA: "QUERO PAGAR O MESMO IMPOSTO QUE A MINHA SECRETÁRIA PAGA".

Obama fala grosso em defesa de uma CPMF de rico

    Publicado em 19/09/2011


O Instituto Millenium perde lá e aqui


Saiu no New York Times

Obama diz que vetará um plano de cortes que não aumente os impostos dos ricos, também.

Numa cerimônia nos jardins da Casa Branca, Obama anunciou um programa de US$ 3 trilhões  em cortes; US$ 1,5 em aumento de impostos para ricos – uma espécie de CPMF de rico, como, breve se terá aqui – e empresas; e a economia de US$ 1,1 trilhão com a saída do Iraque e do Afeganistão.

Os US$ 3 trilhões equivalem a dois PIBs do Brasil.

É um brutal programa de cortes , que se soma a um trilhão já aprovado, antes, no debate sobre o teto da dívida.

Paul Krugman, no New York Times, volta a espinafrar uma política de recuperação que se sustente em corte de investimentos.

O novo Obama, que hoje se revela, é o que ameaça vetar os cortes sem a CPMF de rico: pague o mesmo Imposto de Renda que paga a sua secretaria.

É a Buffett rule, a regra de Warren Buffett, o milionário que pediu para pagar mais impostos.

Clique aqui para ler que até o Fernando Henrique aprova uma CPMF de rico

Milionários alemães e franceses fizeram o mesmo: quero pagar o mesmo imposto que a minha secretária !

Aqui, não.

Pobre paga mais imposto que rico.

E o tanque montado no Instituto Millenium lutará com todas as armas para combater essa ideia.

Não adianta.

A CPMF dos ricos brasileiros virá com mais certeza do que a do Obama.

Paulo Henrique Amorim - Blog ConversaAfiada

sábado, 17 de setembro de 2011

SEMAM ARTICULA MELHORIAS PARA O MERCADO SÃO SEBASTIÃO.

Quiosque Irmão Antônio - Tradição e Modernidade - Frutas e Legumes no cartão de crédito
Almoço no 5 Estrelas - Mercado São Sebastião
Vai um cheiro verde fesquinho?

TV Cidade
video


Jornal O POVO

Mercado deve ganhar biodigestor

16.09.2011| 01:30
No Mercado São Sebastião, localizado no início da avenida Bezerra de Menezes, encontra-se de tudo um pouco. Tem comida? Tem. É buchada, panelada e caldo de mocotó ao gosto do freguês. Também são vendidos artesanato, queijos, doces, celulares, panelas e artigos religiosos. E frutas, verduras e carne tem de ruma, falando no bom cearês.
Com isso, o mercado produz muito lixo também. “São quatro toneladas de lixo por dia”, afirma Adalberto Alencar, fundador do Centro de Educação Popular em Defesa do Meio Ambiente (Cepema). Ele explica que, com a construção de um biodigestor, o mercado produzirá energia elétrica para consumo próprio. Ainda será feito um estudo, mas Adalberto estima que o equipamento vai custar entre 800 mil e 1 milhão de reais.
O biodigestor será construído a partir da experiência e da tecnologia desenvolvida pela prefeitura e universidade de Bouräs, na Suécia. O secretário de Meio Ambiente e Controle Urbano de Fortaleza, Deodato Ramalho, explica que um intercâmbio está sendo realizado com os suecos. Eles estarão em Fortaleza entre 28 e 30 de outubro e o mercado será um dos locais visitados.
O São Sebastião tem frequentadores assíduos. O servidor público aposentado José Viana da Costa, 77, vai ao mercado, no mínimo, uma vez por semana. “Frequento ele há 15 anos. Venho mais para comprar queijos e frutas”. Para ele, os pontos positivos são a variedade e o preço baixo, o que compensa o deslocamento do bairro Dionísio Torres, onde mora, até o mercado.
Mas comerciantes e visitantes reclamam de problemas na limpeza, da desorganização e da existência de boxes fechados, além do mau-cheiro na entrada pela Bezerra de Menezes.
Deodato Ramalho considera que, no mercado, “é possível conhecer os hábitos alimentares da população cearense”. Ele enfatiza que serão priorizadas as ações que demandam poucos recursos, como cuidados na limpeza do mercado e higiene dos produtos, além de capacitação dos permissionários. “A médio prazo o objetivo é fazer uma reforma”.
O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Frutas e Verduras de Fortaleza (Sincofrutas), João Batista, sugere a criação de um polo gastronômico no local, para atrair mais visitantes. “Esse equipamento foi muito bem feito e tem uma excelente localização”, destaca.
SERVIÇO
Funcionamento
O mercado tem 400 boxes e 25 quiosques e funciona de segunda à sábado, das 4 às 17 horas, e aos domingos, das 4 horas ao meio-dia. Tem estacionamento (R$ 2,50 duas horas ou fração).

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

REFLETINDO O NOVO ESPAÇO URBANO.

Desafios da questão urbana no Brasil 

A cidade brasileira contemporânea resulta da combinação de dois mecanismos complementares: a livre mercantilização e a perversa política de tolerância com todas as formas de apropriação do solo urbano.

A livre mercantilização permitiu a aliança entre as forças que comandaram o projeto de desenvolvimento capitalista, os interesses das firmas internacionais e as frações locais da burguesia mercantil inseridas no complexo conformado pela tríade produção imobiliária – obras públicas – concessão de serviços públicos. O Brasil urbano foi desenhado pela ação dessa coalisão mercantilizadora da cidade, tendo o Estado como condottiere, seja protegendo os interesses da acumulação urbana da concorrência de outros circuitos, seja realizando encomendas de construção de vultosas obras urbanas ou pela omissão em seu papel de planejador do crescimento urbano. Omissão que, além de servir à mercantilização da cidade, teve papel fundamental na transformação do território em uma espécie de fronteira interna da expansão capitalista, aberta à ocupação livre da massa expropriada do campo.

Entre 1950 e 1970, quase 39 milhões de pessoas migraram do mundo rural e se transformaram em trabalhadores urbanos vulneráveis em razão do processo

PEDALE, GANHE E ACUMULE ENERGIA.

Quem vai passar o feriado pedalando? Eu! E o que seria melhor do que pedalar no dia de folga? Pedalar e carregar o celular com auxílio da sua magrela. 
A Silverback Labs criou um sistema de geração de energia via USB para bicicletas da linha Starke e isso é genial! Não é só isso, pois a energia gerada pela suas pedaladas vão alimentar uma bateria da bicicleta que vai ajudar nas subidas e toda a parte de iluminação. Mas aí, quando seu celular – ou qualquer outra coisa que carregue via USB – estiver sem carga, basta plugá-lo na bike e carregar enquanto anda por aí.
São três modelos: Starke 1 e 2, com a bateria acoplada e a top de linha, que aparece na imagem, a Starke Sub Zero, que não tem bateria e é 2,7 quilos mais leve.
Como o pessoal do Gizmodo lembrou, a Nokia já tentou algo assim na Europa, mas por mais verde que seja, a coisa precisa ser bonita. E a linha Starke tem esses dois atributos, mas ainda não tem preço e serão lançadas em 2012, só nos EUA.

Fonte: http://www.eco4planet.com/

quarta-feira, 7 de setembro de 2011


Qual sua pegada de carbono ao se deslocar para a faculdade, o trabalho ou para-onde-quer-que-você-vá? Mais do que isso: quanto você gera indo de carro, bicicleta ou de outras formas? Tudo isso será mais fácil de se calcular quando você tiver o app Commute Greener, da Volvo, na sua iCoisa.
Com o aplicativo fica fácil saber até, por exemplo, qual rota mais eficiente a ser fazer para chegar ao seu destino. Você pode medir também o quanto gasta por dia, de acordo com sua rotina.
O Commute Greener é inteligente já que não só aponta seu “erro”, tendo um modo de metas para reduzir suas emissões. Seu único problema é existir apenas para iOS, mas está disponível de graça.

Fonte: www,eco4planet.com

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

MARAVILHAS BRASILEIRAS.



O Rio Amazonas é o segundo mais extenso do mundo, ficando atrás apenas do Nilo, embora sua vazão seja mais de 40 vezes superior à do Rio africano. A novidade é que cientistas afirmam haver um segredo lá embaixo dele: outro rio.

Nada menos do que 4Km abaixo do Rio Amazonas, cientistas encontraram o que tem sido chamado de Rio Hamza, em homenagem ao líder do grupo. Enquanto o irmão de cima tem entre 1 e 100Km de largura, o de baixo varia de 200 a 400km. Já a extensão é similar – nada mal.
A maior diferença está na velocidade: o Amazonas corre a cerca de 5 metros por segundo enquanto o Hamza, o gigante tartaruga das profundezas, se desloca um milímetro por hora.

PARA GRANDES PROBLEMAS, GRANDES SOLUÇÕES...


Igreja de papelão substituirá catedral derrubada por terremoto



Quando um terremoto de magnitude 6.3 atingiu Christchurch, na Nova Zelândia, em fevereiro, a catedral da cidade construída em 1864 veio abaixo. Enquanto muitos milhões de dólares e anos de trabalho não podem ser dispendidos, o arquiteto japonês Shigeru Ban vai construir um substituto temporário – com papelão.

A estrutura terá 24m de altura, quase a mesma altura da catedral original; a capacidade será de 700 pessoas; e será usada pela comunidade e por grupos musicais. O formato de A dos tubos que formarão a catedral tem uma explicação simples, garantir resistência, e também passam por um tratamento contra água e fogo.
Apesar do papelão, os tubos não ficam nada leves, pesando 500Kg cada, e serão construídos localmente, assim como a janela de vidro na frente. O alicerce será feito com contêineres.
Para que ninguém duvide da capacidade disso tudo dar certo, lembro que o arquiteto Shigeru Ban já é conhecido por usar papelão em seus projetos, por ser reciclável e muito resistente (depois de tratado). Em seu currículo está outra igreja de papelão em Kobe, no Japão, depois do terremoto de 1995. Esta foi desmontada e reciclada em 2005.
A estrutura de US$ 3,5 milhões deve ficar pronta antes do terremoto completar um ano, em 22/02/2012 – falta apenas à câmara municipal de Christchurch decidir o local da a construção. Assim como a japonesa, esta igreja pode ficar na cidade por dez anos ou até a igreja anglicana original ser reconstruída.